Anuidade ARQ-SP 2019 e eleição de Diretoria

Prezado associado,

Em outubro de 2019 será realizada eleição para a nova diretoria da Associação de Arquivistas de São Paulo, triênio 2019-2022.

Todo associado quite com a anuidade de 2019 (vigência: janeiro a dezembro de 2019) estará apto a votar e a ser votado.

Caso você ainda não tenha efetuado o pagamento de sua anuidade de 2019, ainda dá tempo.

Acesse o site <arqsp.org.br>, clique em LOJA / FILIAÇÃO e clique sobre o botão COMPRAR referente à categoria adequada (instituição, estudante*, profissional), e siga as orientações para o pagamento de sua anuidade.

Caso ainda não tenha cadastro no site da ARQ-SP, acesse o site, clique em MINHA CONTA no menu superior, complete com as informações solicitadas; saia do site para validação dos dados; retorne, acesse a loja e siga as orientações mencionadas no parágrafo anterior.

Caso prefira efetuar depósito ou fazer transferência direta para a conta da ARQ-SP no Banco Santander, entre em contato com nossa secretária pelo telefone (11) 3091-3795 ou pelo e-mail secretaria@arqsp.org.br e solicite os dados bancários da Associação. Não se esqueça de enviar cópia do comprovante de depósito/transferência, após ter realizado a transação, para que possamos regularizar sua situação.

Em agosto, divulgaremos no site da Associação as informações referentes à inscrição de chapas, aos prazos e à data da eleição.

Atenciosamente,

Diretoria da ARQ-SP

*Estudante de curso técnico ou de graduação.

Nota de falecimento

A Associação de Arquivistas de São Paulo lamenta profundamente o falecimento de Clóvis Molinari Jr., servidor do Arquivo Nacional, especialista em tratamento e preservação de imagens em movimento, professor e grande amigo. Por duas vezes, em 2002 e 2004, Molinari ministrou com muito alegria e simpatia, sua marca registrada, a oficina “Como preservar e organizar discos, fitas e filmes”, como parte da programação do Projeto “Como Fazer”, criado pela ARQ-SP em 1996, e ainda hoje em desenvolvimento.

Nota sobre o atendimento no mês de janeiro

Informamos que a secretaria da ARQ-SP estará fechada entre os dias 1 e 14 de janeiro de 2019. Neste período, portanto, não haverá atendimento presencial, por telefone ou pelo e-mail “secretaria@arqsp.org.br”.

O atendimento pelos e-mails da Diretoria (diretoria@arqsp.org.br) e da Comissão de Cursos (cursos@arqsp.org.br) funcionará normalmente durante o período de férias da secretaria.

Pedidos de itens pela Loja Virtual da ARQ-SP poderão ser feitos pelo site, porém os produtos serão processados e despachados a partir do dia 15/1.

As inscrições em cursos e eventos poderão ser realizadas normalmente pelo site e serão processadas imediatamente pela equipe da ARQ-SP.

 

A Associação de Arquivistas de São Paulo deseja a todos um 2019 feliz e produtivo!

Reunião de rearticulação do Escudo Azul/Blue Shield no Brasil (08/11/2018, às 16h30, na Biblioteca Mário de Andrade)

Prezados(as) colegas,
No próximo dia 8 de novembro às 16h30 será realizada, na Biblioteca Mário de Andrade (R. da Consolação, 94 – República, São Paulo), reunião para tratarmos da rearticulação do Escudo Azul Brasil. Contamos com a presença de todos os antigos participantes e interessados.
 
Convidamos a todos os profissionais interessados para a reunião de rearticulação do Escudo Azul / Blue Shield no Brasil. O objetivo é a reativação e estruturação da importante iniciativa que tem por missão principal a proteção do patrimônio cultural mundial e o apoio técnico-profissional voluntário a acervos, instituições e sítios culturais em situação de risco. O encontro será realizado no dia 08 de novembro, às 16:30, na Biblioteca Mário de Andrade (R. da Consolação, 94 – República, São Paulo).
 
Cordialmente,
 
Comissão de Transição do Escudo Azul no Brasil
Diretoria do ICOM Brasil

Arquivos pessoais são tema de encontro na UFMG

Nos próximos dias 6 e 7 de novembro, acontece em Belo Horizonte o Encontro “Universidade e arquivos pessoais: custódia, preservação, difusão”, organizado por professores dos cursos de Arquivologia e Museologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

A programação conta com conferência de abertura proferida pela Profa. Dra. Ana Maria de Almeida Camargo, da Universidade de São Paulo. No dia 6, palestram também Fernando Mencarelli, professor da Escola de Belas Artes, e Diná Araújo, diretora da Divisão de Coleções Especiais da Biblioteca Universitária da UFMG. No dia 7, a Profa. Dra. Elizabeth Ribeiro Azevedo, da USP, falará sobre a experiência do Centro de Documentação Teatral da Universidade de São Paulo e os professores Marta Melgaço, Verona Segantini e José Francisco G. Campos apresentarão o relato da experiência realizada com o arquivo do teatrólogo João das Neves, desenvolvida com alunos da Escola de Ciência da Informação da UFMG.

O evento é gratuito e as inscrições poderão ser feitas no local do evento. Será conferido certificado aos participantes.

Universidade e arquivos pessoais: custódia, preservação, difusão

Quando? 6 e 7 de novembro de 2018, das 19:00 às 22:00

Onde? Auditório da Escola de Belas Artes da UFMG (Av. Antônio Carlos, 6627, Pampulha, Belo Horizonte) 

[Palestra] Arquivo Comitê de Defesa dos Direitos Humanos para os Países do Cone Sul: Preservação para acesso e pesquisa

O Arquivo Geral da USP e a ARQ-SP convidam

Palestras do Arquivo Geral da USP

ARQUIVO COMITÊ DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS PARA OS PAÍSES DO CONE SUL: PRESERVAÇÃO PARA ACESSO E PESQUISA

com Ana Célia Navarro de Andrade

Criado no final dos anos 1970, o Comitê de Defesa dos Direitos Humanos para os Países do Cone Sul (Clamor) firmou sério compromisso com seu slogan “Solidariedade não tem fronteiras”, o qual, nos dizeres de Charles Harper, “influenciou de forma precisa nas estratégias adotadas pelo Conselho Mundial de Igrejas como resposta às urgentes necessidades de respeito aos direitos humanos na região” (Harper, 2007). Esse compromisso pode ser facilmente comprovado em uma rápida consulta a seu arquivo, recolhido ao acervo do Centro de Documentação e Informação Científica, CEDIC/PUC-SP, nos anos de 1993 e 1999. Desde então, diversos projetos vêm sendo realizados para a identificação, organização, descrição e digitalização dos documentos do Fundo Clamor com vistas à sua preservação e, num futuro bem próximo, à disponibilização de sua versão digital para consulta online. Neste sentido, a palestra pretende apresentar pequeno histórico da trajetória do Comitê na defesa dos Direitos Humanos, enfatizando seu grande potencial para pesquisa, e relatar as ações até então desenvolvidas com vistas à preservação dos documentos originais e à disponibilização de seu acervo digital para acesso online

Sobre a palestrante: Graduada e licenciada em História (1987), mestre em Ciências/História Social (2000) e doutoranda em História Social, pela Universidade de São Paulo. Desde 1992 ocupa o cargo de Historiógrafa no Centro de Documentação e Informação Científica, (CEDIC/PUC-SP), onde é responsável pelo setor de Conservação e Reprografia. Docente, desde 1997, do curso de extensão cultural “Introdução à Política e ao Tratamento dos Arquivos” (CEDIC/PUC-SP)  e do curso de pós-graduação em Gestão de Arquivos e Bibliotecas Escolares (UNIFAI) desde 2016. Tem ministrado cursos e palestras sobre reprografia de preservação, conservação de acervos, implantação de centros de documentação e gestão documental em várias cidades do Brasil. Atualmente, exerce o cargo de presidente da Associação de Arquivistas de São Paulo em sua quarta gestão consecutiva, tendo coordenado a comissão de cursos da Associação de 2007 a 2014. É membro do Conselho Consultivo do Projeto Memórias Reveladas/Arquivo Nacional, do Conselho Consultivo do Arquivo Histórico de São Paulo e do Comitê Científico Internacional da revista Fuentes (Bolívia). Tem organizado e participado de congressos, encontros e seminários, nacionais e internacionais, apresentando trabalhos sobre sua área de atuação, incluindo projetos sobre organização de acervos de Direitos Humanos no período das Ditaduras Civil-Militares no Cone Sul. Possui diversos trabalhos publicados.

Quando? 30 de outubro de 2018, às 14 horas

Onde? Arquivo Geral da USP. Rua Francisco dos Santos, 107, Cidade Universitária, São Paulo – SP. (Travessa da Av. Prof. Lineu Prestes, altura do Instituto de Ciências Biomédicas ICB-4). Veja o mapa.

Quanto? Grátis!

Clique aqui para fazer a sua inscrição

Atenção! Esta é uma atividade gratuita e as vagas são limitadas. Faça a sua inscrição apenas se tiver real interesse em participar. Caso tenha se inscrito e não puder comparecer, comunique a desistência com antecedência (cursos@arqsp.org.br), assim a vaga será cedida a outro participante 😉  

Luto nacional

A Associação de Arquivistas de São Paulo lamenta profundamente o trágico incêndio que destruiu o Museu Nacional na noite de hoje, 2 de setembro de 2018, e se solidariza com os museólogos, antropólogos, arqueólogos, historiadores, pesquisadores, técnicos e demais funcionários, que dedicaram grande parte de suas vidas ao tratamento, à conservação, à descrição e à difusão do acervo do Museu Nacional.

Inconformada com essa tragédia, anunciada já há alguns anos, a ARQ-SP espera que os governos, federal e estaduais, repensem suas políticas públicas voltadas para a cultura, para a preservação do patrimônio histórico nacional – edificado e documental -, e consequentemente, para a preservação da memória nacional.

Vaga aberta para Técnico em digitalização

Cargo: Técnico em digitalização.
Formação: Ensino Médio completo ou superior em Audiovisual ou Tecnologia da Informação.
Atribuições: digitalização do acervo do museu; realização de reproduções de acervo; atualização de suportes; armazenamento digital de dados; gerenciamento eletrônico de documentos.
Perfil: boa comunicação; boa redação; responsabilidade; trabalho em equipe; interesse pelas áreas da Ciência da Informação.
Necessário: bons conhecimentos de programas para edição de áudio e vídeo. Experiência com mídias analógicas.
Modalidade: CLT  efetivo.
Benefícios:  VA / VR / VT / SV / AM e AO (opcional).
E-mail para envio de currículos:  recrutamento@mis-sp.org.br  –  Assunto: Técnico em digitalização.
Processo seletivo:
  A  seleção será feita por meio de análise de currículos e entrevista a ser agendada com a coordenação e diretoria.

Reitoria da Unicamp anuncia remanejamento de bibliotecário para Centro de Memória

Após intensa mobilização da sociedade em apoio à Biblioteca Prof. José Roberto do Amaral Lapa, atendimento ao público será retomado parcialmente na próxima segunda-feira (30).

Após reunião realizada entre a direção do Centro de Memória – Unicamp e a Coordenadoria Geral da Universidade (CGU), foi apresentada uma solução para viabilizar a reabertura da Biblioteca Prof. José Roberto do Amaral Lapa, que suspendeu o atendimento ao público na última segunda feira (23) por conta da aposentadoria das duas bibliotecárias que vinham se revezando nas atividades do setor.

A Administração Central da Universidade informou que irá realizar o deslocamento de um bibliotecário vinculado à Biblioteca Central para trabalhar meio período junto ao acervo bibliográfico do Centro de Memória. Segundo a Reitoria, o servidor assumirá a função a partir da próxima segunda-feira (30), inicialmente no período da tarde.

Apesar de não ser uma solução definitiva para a Biblioteca do CMU, a coordenadora associada da Biblioteca Central, Valéria Martins, explicou que o bibliotecário dará expediente inicialmente à tarde, por ser o período de maior procura pelo acervo. “Entretanto, nós vamos avaliar se esse realmente é o melhor horário, de acordo com o movimento. Se for preciso, nós faremos ajustes, de modo a prestar o melhor atendimento possível ao público”, afirmou em notícia publicada no Portal Unicamp.

Mobilização

Após a divulgação da suspensão do atendimento ao público na Biblioteca, o Centro de Memória recebeu diversas manifestações de apoio e solidariedade de pesquisadores, representantes políticos, entidades e associações da área.

Na Unicamp, os docentes do Departamento de História, o Arquivo Edgard Leuenroth (AEL) e o Centro de Documentação Cultural Alexandre Eulalio (CEDAE) publicaram notas solicitando a reabertura da Biblioteca. Também se manifestaram no mesmo sentido a Associação de Arquivistas de São Paulo (ARQ-SP) e a Associação Nacional de História – Seção São Paulo (ANPUH-SP), bem como o Conselho Regional de Biblioteconomia do Estado de São Paulo – 8ª Região (CRB-8), que enviou fiscal da entidade para acompanhar o caso.

Na Câmara de Campinas, uma moção de apelo à reitoria foi proposta pelo vereador Elias Azevedo (PSB), enquanto na Câmara de Vinhedo propositura de igual teor foi protocolada pelo vereador Rodrigo Paixão (REDE). Já o abaixo-assinado pela reabertura da Biblioteca do CMU, lançado no início desta semana, colheu mais de 1.600 assinaturas.

A direção do CMU considera que a mobilização da sociedade foi fundamental para a solução apresentada, agradece os apoios e manifestações de solidariedade recebidos, e informa que seguirá negociando com a Administração Central formas para solução definitiva dos problemas relacionados à reposição do quadro funcional do órgão.

 

Fonte: CMUinforma, 26/07/2018.

  • Associação de Arquivistas de São Paulo
    ARQ-SP
  • Av. Prof. Lineu Prestes, 338 - Térreo Sala N
    CEP: 05508-000 - São Paulo - SP
  • Telefone / Fax: (11) 3091-3795
    Email: secretaria@arqsp.org.br